Skip to content

BTB 42: LEGADO DE CORTE DE UMA FAMÍLIA NA TASMÂNIA

Os Musketts na Tazmânia escolheram o sistema de colheita da Tigercat para o cenário crítico de corte.

– Paul Iarocci

Com duas equipes, a empresa B.R. & K.F. Muskett & Sons, localizada em Hobart, Tasmânia, abastece a usina da Norske Skog Boyer com quase um quarto da sua produção semanal. Construída em 1941 e originalmente pertencente à Australian Newsprint Mills Pty Ltda., foi a primeira usina do hemisfério sul a produzir papel da fibra do eucalipto. Esta empresa só teve três proprietários ao longo de seus 75 anos de história. A quarta geração de lenhadores Muskett, que gerencia o negócio de 50 anos da família, está estreitamente ligada à usina.

A colheitadeira LH855C, operada por Matthew Muskett, seguida pela L830C, pilotada por Andrew Muskett. O pinheiro grande é transformado no campo e logo encaminhado à beira da estrada.

A colheitadeira LH855C, operada por Matthew Muskett, seguida pela L830C, pilotada por Andrew Muskett. O pinheiro grande é transformado no campo e logo encaminhado à beira da estrada.

A BTB acompanhou Kevin Muskett e seus filhos, Matthew e Andrew. Em outubro passado, uma das equipes responsáveis pelos pinheiros e que estava trabalhando em uma área da espécie de radiatas produziu cerca de 2.000 m³ (aproximadamente 2.000 toneladas) por semana com o feller buncher Tigercat L830C, uma colheitadeira LH855C e um forwarder 1075B. Os filhos de Kevin, Matthew e Andrew, operam a LH855C e o L830C e são responsáveis também pela gestão da operação. Eles podem manter a produção com o sistema de três máquinas, se o peso da peça de madeira for maior que 1,5 tonelada. “Em casos de madeira de má qualidade, trazemos uma segunda colheitadeira”,” explica Kevin.

(Da esquerda para a direita) Kevin, Matthew e Andrew Muskett.

(Da esquerda para a direita) Kevin, Matthew e Andrew Muskett.

A empresa adquiriu as três máquinas Tigercat como um sistema completo, abrindo mão da maquinaria Komatsu que tradicionalmente era utilizada. “As Tigercats são máquinas boas e recebemos uma excelente assistência da equipe de Dave em Onetrak”, diz Kevin. “Temos um buncher L870C e uma colheitadeira H855C em outra operação de exploração de pinheiros”, acrescenta Kevin. A equipe é dirigida pelo irmão de Kevin, Geoffrey, que também trabalha como operador da L870C. Os dois filhos de Geoffrey também trabalham na equipe. Nicholas está na Tigercat H855C e Cassidy opera a carregadeira. Além disso, a empresa gerencia dois locais de exploração de madeira de lei e doze caminhões de carga.

(Da esquerda para a direita) Robert, Kevin, Nicholas (Tiny) e Geoffrey Muskett em um local de trabalho em frente a uma máquina de esteira Tigercat.

(Da esquerda para a direita) Robert, Kevin, Nicholas (Tiny) e Geoffrey Muskett.

Com frequência, Geoffrey lida com algumas condições muito exigentes no Florentine Valley, no sudoeste da Tasmânia, onde as dolinas calcárias causam danos a plantações de pinheiros de 30 anos de idade. Ele trabalha em conjunto com a Autoridade de Práticas Florestais e a Norske Skog, responsável pelo mapeamento e pela marcação de cada dolina. A empresa Muskett & Sons foi premiada em 2015 pelo desempenho exemplar em relação às dolinas e à operação de corte e arraste de árvores em terrenos muito inclinados.

A empresa nunca teve um forwarder com a estabilidade e a capacidade de levantamento do 1075B. Estamos muito satisfeitos com ele.

– Kevin Muskett

Kevin continua a listar os nomes de seus familiares. “Meu irmão Robert supervisiona as oficinas, minha irmã Helen administra o escritório e Brian e Kath são meus pais”.” A empresa tem aproximadamente 50 funcionários.

Corte crítico

O maior desafio das operações de extração de pinheiros é não poder deixar a madeira na beira da estrada por mais de duas semanas. De acordo com Kevin, a habilidade de atender pontualmente as exigências de colheita e entrega depende muito da disponibilidade das máquinas. “O planejamento e a credibilidade do equipamento são muito importantes. O buncher não pode ficar muito adiante do resto do sistema, caso contrário a madeira permanecerá sobre o solo por muito tempo. Como não podemos estocá-la na beira da estrada, as máquinas precisam ter uma disponibilidade muito alta”.

Kevin reconhece que o equipamento da Tigercat é bastante produtivo. A empresa nunca teve um forwarder com a estabilidade e a capacidade de levantamento do 1075B, por exemplo. “Estamos muito satisfeitos com ele”, afirma Kevin.

O Tigercat 1075B com a LH855C no fundo.

O Tigercat 1075B com a LH855C no fundo. Segundo Kevin Muskett, trabalhar com um sistema de três máquinas em um cenário crítico de corte requer confiança no equipamento e alta disponibilidade das máquinas.

O Tigercat 1075B com a LH855C no fundo. Segundo Kevin Muskett, trabalhar com um sistema de três máquinas em um cenário crítico de corte requer confiança no equipamento e alta disponibilidade das máquinas.

Normalmente, o terreno é íngreme e rochoso. “A LH855C pode arrastar troncos em terrenos íngremes”, explica Kevin. Apesar de isso deixar a taxa de produção para processamento mais lenta, melhora a eficiência e o equilíbrio da operação toda. “Utilizamos um forwarder quando o terreno fica muito inclinado”. E quando ele fica íngreme demais, a L830C corta como um yarder.

A poderosa grua da Tigercat e a grande capacidade da garra Tigercat aumentam a produtividade da 1075B.

A poderosa grua da Tigercat e a grande capacidade da garra Tigercat aumentam a produtividade da 1075B.

Kevin diz que a Muskett & Sons renovou recentemente o contrato com a usina e a Norske Skog parece estar fazendo tudo para garantir o sucesso em uma região onde a grande maioria da fibra é destinada à exportação. A usina produz duas categorias de papel de jornal e também papel brilhante de alta qualidade para revistas, o que acabou salvando os negócios. Kevin explica que a Norske Skog completou o projeto de investimento de capital há dois anos. Diante da recessão no setor de impressão de material jornalístico na Austrália, da volatilidade dos mercados asiáticos e de um dólar australiano forte, a empresa gastou 84 milhões de dólares australianos para transformar uma das máquinas de papel da usina em uma produtora de papel de alta qualidade para revistas. Isso representa um dos primeiros e maiores investimentos na indústria florestal da Tasmânia durante muito tempo. Portanto, Kevin está atualmente satisfeito com os seus negócios, seu cliente principal e a saúde geral da indústria.

 

Vídeos relacionados