Skip to content

Incêndio na floresta

As notícias do enorme incêndio espontâneo em Fort McMurray, Alberta, são um lembrete oportuno de que os lenhadores precisam de se manter atentos aos riscos dos incêndios espontâneos, ao mesmo tempo que entendem o processo natural importante destes para os ambientes florestais.

— Chris Armour, redator técnico de marketing

 

USDAgov via VisualHunt / CC BY

Foto: USDAgov via VisualHunt / CC BY

Apesar de o fogo às vezes ser necessário, as práticas corretas de desflorestamento e o gerenciamento florestal podem ser uma ajuda na redução do risco de incêndios florestais sem controle e de grandes dimensões. Nas florestas boreais do Canadá, por exemplo, o fogo é essencial para o crescimento do pinheiro jack pine (pinus banksiana) e do pinheiro-da-praia (pinus contorta). Seus cones possuem um revestimento ceroso que necessita do calor do fogo para libertar as sementes. As florestas de eucalipto dependem ainda mais do fogo para se regenerar e propagar. Em algumas espécies de eucalipto, é o fogo que desencadeia a liberação das sementes, que crescem nas cinzas. Há outras ainda em que brotos epicórmicos nascem nos ramos e troncos estimulados pelo estresse do fogo. Sem incêndios regulares, estas florestas não conseguem se regenerar adequadamente. Frequentemente, procuramos prevenir ou eliminar por completo os incêndios florestais.

Cada vez mais, pessoas moram perto de florestas e, obviamente, querem proteger suas casas. Contudo, impedir completamente os incêndios não apenas atrasa a reprodução e reduz a produtividade das florestas, como também aumenta o perigo de incêndios de grande escala. Madeira morta, biomassa e resíduos vão se acumulando no chão da floresta como combustível. Árvores mais velhas e doentes são mais vulneráveis ao fogo. Florestas de eucaliptos e pinheiros, à medida que envelhecem, produzem seiva e óleos inflamáveis que aumentam ainda mais o risco de incêndio. Tudo isso conduz a incêndios maiores quando eles inevitavelmente acontecem.

Um harvester LS855C trabalhando em um terreno para madeira que sofrera um incêndio florestal.

Um harvester LS855C trabalhando em um terreno para madeira que sofrera um incêndio florestal.

Surgiu um padrão em que menos incêndios acontecem, mas com impacto global cada vez maior. Números do governo dos EUA mostram que em 1973 ocorreram 117.957 incêndios que cobriram uma área de 775.083 hectares, enquanto em 2015 houve 68.151 incêndios que cobriram uma área de 4.097.502 hectares – 40% menos incêndios destruíram uma área 500% maior¹. Os incêndios que ganham as manchetes dos jornais, como as devastadoras queimadas do Sábado Negro na Austrália (2009), o incêndio Rim no Parque Nacional Yosemite (2013) e o incêndio em Fort McMurray deste ano, estão se tornando cada vez mais comuns e mais caros em termos de propriedades e vidas perdidas.

Os incêndios maiores e com temperaturas mais altas destroem as sementes e as plantas necessárias à regeneração florestal e deixam a paisagem basicamente esterilizada, necessitando de uma replantação manual difícil e dispendiosa. Os incêndios “naturais” e com temperaturas mais baixas ajudam a ecologia florestal a se recuperar do fogo a uma velocidade normal.

A colheita florestal mecanizada pode ajudar a manter o equilíbrio na floresta. Ao escarificar, remover biomassa, desmatar e cobrir o solo com ervas, a carga de combustível é reduzida e os níveis de luz para novas árvores aumentam. Tanto as operações de corte no comprimento quanto as de desbaste de árvores inteiras podem reduzir significativamente os danos causados pelos incêndios. Áreas de abate preventivo claramente definidas podem ser usadas para proteger residências e instalações. Com cargas de combustível mais baixas e mais abates preventivos, as queimadas controladas podem ser usadas de maneira segura para recuperar a ecologia florestal, com menor risco de incêndios difíceis de serem controlados.

Um skidder 615C recuperando madeira queimada no Chile.

Um skidder 615C recuperando madeira queimada no Chile.

Este tipo de desbaste pode produzir aparas de madeira e outro tipo de biomassa de valor comercial, mas geralmente não é muito rentável. Por esse motivo, em algumas partes do mundo, como na Austrália, os governos pagam a empreiteiros para realizarem o desbaste e a limpeza da floresta, garantindo a saúde florestal futura e diminuindo o risco de incêndios². No norte da Colúmbia Britânica, os empresários locais veem a biomassa como uma maneira de gerenciar o risco de incêndios e fornecer aquecimento a comunidades rurais³.

Depois dos incêndios, a madeira morta pode ser recuperada de maneira lucrativa para prevenir a futura acumulação de combustível. A prática de cobrir o solo, que basicamente decompõe a biomassa existente em um material fino, ao mesmo tempo que facilita a decomposição e retém a umidade do solo, também elimina um elemento fundamental para a propagação de incêndios – o oxigênio. Ao passar em biomassa florestal coberta, os incêndios se abrandam, apresentam uma combustão lenta e são abafados.

Números do governo dos EUA mostram que quase 90% dos incêndios florestais são causados por atividades humanas, como fogueiras e cigarros, ou são incêndios criminosos. O restante é causado por fatores naturais, como relâmpagos.4 Os lenhadores desempenham um papel importante na segurança contra incêndios. Lidar rapidamente com vazamentos de fluidos combustíveis é essencial para reduzir o risco de incêndios. Manter o equipamento limpo e evitar a acumulação de detritos perto do sistema de escape do motor e das bombas hidráulicas ajuda a prevenir o início das chamas. Certifique-se de que o sistema de combate a incêndios da sua máquina está funcionando corretamente e que os extintores portáteis se encontram carregados e disponíveis. Além do custo da máquina, pense também na segurança dos seus colaboradores e de toda a comunidade.

1 “Total Wildland Fires and Acres (1960-2015)”, U.S. National Interagency Fire Center. http://www.nifc.gov/fireInfo/fireInfo_stats_totalFires.html

2 “National call for mechanical fuel load reduction tenders”, 7 de março de 2016. http://minister.agriculture.gov.au/ruston/Pages/Media-Releases/mechnicalfuel-load-reduction-tenders.aspx

3 “Biomass business case for managing wildfires”, 17 de junho de 2016.
http://www.woodbusiness.ca

4 “Wildfire Causes”, U.S. National Parks Service.
http://www.nps.gov


CONTEÚDO RELACIONADO

Prevenção de incêndio de escape de motor


Madeira e escape do motor definitivamente não se misturam. Aprenda a minimizar o risco de incêndio causado pelo escape do motor.


Segurança contra incêndio para feller bunchers e mulchers


Comparativamente a outras máquinas industriais móveis, o equipamento utilizado na exploração florestal tem um risco acima da média de ser danificado ou destruído pelo fogo. Tome as atitudes corretas para minimizar os riscos de incêndio. Saiba mais sobre as práticas recomendadas.


buncher fire safety