Skip to content
Não deve ser difícil descobrir a produção total, porque os empreiteiros de colheita são pagos com base em algum tipo de medição de volume.

A unidade de medida, que pode ser toneladas curtas, toneladas métricas, cordões, caminhões, pés cúbicos ou metros cúbicos, é irrelevante. Utilizamos toneladas métricas para representar alguma medida de produção.

Uma grande pilha de toras no primeiro plano leva seus olhos em direção a uma carregadeira 234 Tigercat.

Determinar a produção de uma parte particular do equipamento ou do sistema de corte de madeira pode ser mais complexo.

Por exemplo, se você usar dois feller bunchers, não conseguirá determinar com facilidade a parcela de contribuição de cada um para a produção total. Nesse caso, é necessário observar as máquinas. Conte quantas unidades de volume cada máquina faz em um dia ou, melhor ainda, uma semana ou mês, e então divida pelo total de horas que cada máquina efetivamente trabalhou. Você terá uma boa ideia de qual é sua produção por hora. Quanto maior o período de medição, mais precisa será a média.

Se o operador da sua máquina trabalhar em turnos de oito horas e você acompanhar atentamente o número de horas de produtividade real da máquina por turno, você muito provavelmente perceberá que esse número representa apenas uma porcentagem. É interessante saber exatamente de onde vem a inatividade. Intervalos de funcionários, manutenções diárias e falhas mecânicas, tudo contribui para a inatividade. Essa análise é chamada de disponibilidade e utilização da máquina.