Skip to content

Prevenção de incêndio de escape de motor

Madeira e escape do motor definitivamente não se misturam. Aprenda a minimizar o risco de incêndio causado pelo escape do motor.

Máquinas florestais — particularmente aquelas utilizadas em aplicações de corte e processamento — trabalham constantemente perto de grandes quantidades de material orgânico combustível. Ramos, galhos, cascas, folhas e agulhas caídos de árvores circundantes, arbustos e vinhas, bem como cavacos e poeira projetados pelos cabeçotes da serra podem entrar no compartimento do motor de uma máquina de extração de como fragmentos em suspensão.

A temperatura de escape do motor geralmente ultrapassa 425 °C. Lembra-se do romance distópico Fahrenheit 451, de Ray Bradbury? Tal como acontece com livros banidos, os detritos florestais irão acender e queimar a temperaturas de 200–260 °C. Consequentemente, se os detritos florestais entrarem em contato com os componentes do escape de motores de alta temperatura, como o coletor, o turbocompressor ou o silencioso, o risco de incêndio na máquina aumenta significativamente.

Quando um incêndio se inicia em detritos de madeira no compartimento da máquina, muitos outros materiais inflamáveis podem interagir, transformando rapidamente um incêndio pequeno e localizado em um inferno feroz.

Tais materiais incluem:

A prevenção de incêndio em um equipamento de exploração florestal é um esforço contínuo. A limpeza, a lavagem e a remoção do acúmulo de detritos florestais dentro da máquina são responsabilidades e tarefas importantes a serem realizadas frequentemente.

Igualmente importante são a inspeção e a manutenção contínuas dos componentes do sistema de escape do motor para garantir que todos os gases de escape saiam da máquina apenas através do cano de escape após o silencioso. Se ocorrer um vazamento de escape em qualquer lugar dentro do compartimento do motor, todos os componentes e materiais acima ficam expostos a gases de alta temperatura. Na melhor das hipóteses, isto leva à falha prematura dos componentes. Na pior das hipóteses, aumenta significativamente o risco de incêndio da máquina.

A verificação de vazamento deve ser realizada frequentemente em todos os componentes de escape do motor. Sempre inspecione cuidadosamente:

Este trabalho de inspeção deve ser incorporado nos procedimentos de aquecimento da manhã, na lubrificação diária e nos planejamentos de manutenção ou nas verificações de arrefecimento de final de turno.

Seja proativo

Se qualquer componente do sistema de escape parecer estar próximo do fim da vida útil, conserte ou substitua as peças antes que elas falhem. Se um vazamento de escape for encontrado, a máquina deve ser desligada imediatamente, e não colocada novamente em serviço, até que os consertos necessários tenham sido concluídos.

Escute

Uma alteração ou um aumento do nível de ruído de escape do motor geralmente é um sinal de vazamento de escape. Este aviso sonoro não pode ser ignorado; é necessária ação imediata.

Inatividade planejada

À medida que são acumuladas horas de operação da máquina, devem ser realizados trabalhos de assistência importantes ou a substituição do motor. Aproveite estas oportunidades para realizar uma verificação detalhada de todo o sistema de escape de motor, substituindo componentes secundários. Os incêndios em máquinas são caros — mais caros que o tempo necessário para limpar a máquina e inspecionar o sistema de escape diariamente, e muito mais caros que as peças de reposição.

Os incêndios em máquinas podem ser evitados facilmente. Por isso, reflita antecipadamente, seja proativo e evite a longa lista de custos financeiros, humanos e ambientais associados. Para obter mais informações, consulte as páginas de Prevenção de incêndio na Seção 1 de qualquer manual do operador atual da Tigercat.

Projeto da máquina para reduzir o risco de incêndio

Os projetistas da Tigercat planejam os layouts de máquina com a segurança contra incêndio em mente. A compartimentalização separa o sistema de arrefecimento, o motor e os componentes hidráulicos. Isso reduz o risco de o óleo hidráulico entrar em contato com os componentes quentes do motor e do escape, em caso de vazamento do sistema hidráulico.